Holter Digital 24h

É um exame que consiste no registro dos batimentos cardíacos no período de 24 ou 48 horas, de acordo com a necessidade e a solicitação do médico requisitante. Tem a finalidade de diagnosticar arritmias cardíacas, ou seja, batimentos irregulares como as palpitações, “sensação que o coração vai sair pela boca”, “coração disparado”. Também é indicado para a investigação de desmaios ou tonteiras e para isquemia coronariana (angina). Também se utiliza para a avaliação da eficácia terapêutica antiarrítmica. É realizado por meio de um gravador com cartão digital (memory stick) preso à cintura do paciente e de eletrodos afixados no peito, que captam a atividade elétrica do coração. Após a instalação do aparelho, o paciente é instruído a anotar em relatório entregue pela clínica, todos os sintomas e as atividades executadas durante a gravação.

Mapa 24h

É um exame que consiste no registro das pressões arteriais no período de 24 horas. Tem como finalidade ajudar no diagnóstico da Pressão Alta assim como no acompanhamento do tratamento com medicamentos. Também é indicado nos casos de investigação de desmaios ou tonteiras. É realizado por meio de um gravador preso à cintura do paciente e de uma bolsa pressórica acoplada ao braço não dominante. Após a instalação do aparelho, o paciente é instruído a anotar em relatório entregue pela clínica, todos os sintomas e atividades realizadas durante a gravação.

Teste de Esforço (Ergometria)

O teste ergométrico é um exame complementar de diagnóstico cardiológico feito com o paciente em uma esteira ou bicicleta ergométrica, para que sejam observados os comportamentos da frequência cardíaca, da pressão arterial e eletrocardiograma durante os estados de repouso e esforço. Esse tipo de exame oferece dados sobre o funcionamento cardiovascular quando o coração é submetido a esforço físico de forma gradual e crescente e avalia o desempenho das reservas coronárias (capacidade de os vasos do coração aumentarem o fluxo sanguíneo conforme a intensidade do esforço).

Eletrocardiograma Digital

É um exame que consiste no registro dos batimentos cardíacos com a finalidade de avaliar batimentos cardíacos irregulares, isquemia miocárdica, infarto do miocárdio, crescimento das cavidades cardíacas, bloqueios e outras alterações. É realizado por meio da fixação de eletrodos no peito e nos membros superiores e inferiores dos pacientes que detecta a atividade elétrica da fibra cardíaca e a transmite ao aparelho, gerando uma figura com ondas e linhas. Após, imprime-se um registro em papel para a análise e laudo.

Ecocardiograma Transtorácico

É um exame diagnóstico complementar que se baseia na utilização de ultrassons para obter imagens com a percepção também de movimento tanto do coração e como também dos vasos sanguíneos que lhe estão próximos. Os ultrassons emitidos pelo transdutor utilizado são refletidos de forma variável pelas várias estruturas cardíacas, permitindo criar imagens que são visualizadas num monitor. O ecocardiograma é utilizado para estudar alterações cardíacas morfológicas e funcionais. Existem vários tipos de ecocardiogramas, sendo o mais comum o ecocardiograma transtorácico (ETT) em repouso.

Doppler de Carótidas

É um exame diagnóstico complementar que utiliza os ultrassons para avaliar, em tempo real, a anatomia e circulação nas artérias carótidas. Destina-se à análise do fluxo sanguíneo da luz do vaso e também para confirmar ou não a presença de placas de colesterol que causam dificuldade na passagem do sangue... Outros diagnósticos também são possíveis como por exemplo a identificação de aneurismas, angulações, dissecções, arterites e outras afecções que podem acometer as artérias carótidas.

Eletrocardiograma de Alta Resolução (ECG-AR)

É um método computadorizado, não invasivo, que serve para identificar pacientes que possuem alto risco de apresentar eventos cardíacos (taquicardia ventricular sustentada, morte súbita ou ambos) através da detecção dos potenciais tardios. O ECG-AR é um tipo de registro em que se tenta evidenciar potenciais de muito baixa amplitude que podem ocorrer no final do complexo QRS. A presença destes potenciais resulta da despolarização de determinada quantidade de células miocárdicas em regiões com lentificação da velocidade de condução do estímulo elétrico, por exemplo, em fibras viáveis presentes em cicatriz de infarto, ou as "ilhas" de fibrose na doença de chagas, ou ainda na displasia do ventrículo direito etc.